Porsche FHM Sagres Zer0% Cup deu espectáculo no Estoril


Porsche FHM Sagres Zer0% Cup deu espectáculo no Estoril

 

A segunda ronda da FHM Sagres Zer0% Cup começou hoje no Estoril, com a realização das três corridas da categoria Sprint. Tal como sucedera em Maio Hugo Pereira voltou a ser o grande dominador, beneficiando no entanto dos problemas que afectaram o Porsche Boxster de Ni Amorim, que apenas na terceira corrida conseguiu estar ao seu nível, tendo terminado em segundo, depois de ter largado do último lugar da grelha.
 
Na hora do sorteio da grelha para a primeira corrida, a sorte bafejou Bernardo Sousa, que largou da “pole position”, mas não foi muito madrasta para Hugo Pereira, terceiro, e Ni Amorim, quarto. Aproveitando a sua posição Pereira desde cedo passou para a frente e foi-se distanciando de Francisco Martins, que na penúltima volta cedeu o segundo posto a Filipe Pinto. Amorim não foi feliz e acabou por abandonar no final da primeira volta devido a problemas de embraiagem.
 
Na segunda corrida a história foi semelhante, embora Hugo Pereira tenha demorado quatro voltas a chegar à liderança, pois largou de oitavo. Desta vez a oposição maior acabou por vir de António Conceição e Filipe Pinto, que voltou a subir ao pódio. “No sorteio da grelha não fui muito prejudicado para a primeira corrida e na segunda embora tivesse tido maior oposição, acabei por conseguir chegar ao comando sensivelmente a meio da prova e depois tive apenas que controlar, pois sabia que na terceira corrida o Ni Amorim ia ter os pneus mais frescos devido aos problemas que teve. No entanto, distanciei-me na fase inicial e acabei por conseguir mais um pleno,” referiu à saída do pódio Hugo Pereira.
 
Na terceira corrida Ni Amorim largou do final da grelha, mas rapidamente ganhou lugares e chegou até segundo na parte final da prova. O piloto português de carreira internacional já não teve tempo para chegar ao líder. “Nos treinos livres tive um problema logo na primeira volta e na primeira corrida a embraiagem queimou igualmente na volta inicial, pelo que quando arranquei para a última manga não tinha ainda um grande à vontade com o Porsche Boxster, para além de ter sensivelmente mais 40 litros de combustível no depósito que os meus adversários. Na parte final ainda diminui a distância para o Hugo Pereira, mas não deu para fazer mais, até porque as corridas têm apenas oito voltas,” resumiu o convidado da FHM Sagres Cup.
 
Para Filipe Pinto, "a corrida foi feita sempre ao ataque e o carro ajudou por não deu qualquer problema". A regularidade do piloto marcoense e os bons tempos que foi alcançando permitiram-lhe assim classificar-se na segunda posição final.